quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

A Aparição de Quito

 
    Essa belíssima imagem, iniciada pelo escultor espanhol Francisco del Castilho, foi retocada e concluída por ninguém menos que São Francisco de Assis e os três Santos Arcanjos, ao som do coro de vozes angelicais que cantavam o 'Salve Sancta Parens'.
    Foi feita a pedido da própria Santíssima Virgem, quando de sua segunda aparição a Mariana de Jesus Torres, priora da Ordem da Imaculada Conceição, que se deu em Quito, capital do Equador, no dia 16 de janeiro de 1599. Ela explicou: "É vontade de Meu Santíssimo Filho que tu mandes executar uma estátua minha tal qual me vês, e a coloques sobre a cátedra da Priora para que daí governe meu Mosteiro. Que os mortais entendam que Eu sou poderosa para aplacar a Justiça Divina e alcançar piedade e perdão a toda alma pecadora que a mim recorra com coração contrito. Porque eu sou a Mãe de Misericórdia, e em mim não há senão bondade e amor."
    A primeira aparição desta série foi em 2 de fevereiro de 1594. Contudo, essa freira espanhola, uma das fundadoras do Mosteiro Real de la Limpia Concepción nesta cidade, foi agraciada durante toda a vida com frequentes aparições de Jesus, Maria e Santos, mas também de terríveis manifestações de demônios.
    Nossa Mãe disse-lhe nessa ocasião: "Sou Maria do Bom Sucesso, Rainha dos Céus e da Terra. Tuas orações, lágrimas e penitências são muito agradáveis a Nosso Pai Celestial. Quero que fortaleças teu coração e que o sofrimento não te abata. Tua vida será longa para Glória de Deus e de Sua Mãe, que te fala. Meu Filho Santíssimo te presenteia com a dor em todas as suas formas. E, para infundir-te o valor que necessitas, toma-O de meus braços nos teus."


    Tão grandiosa manifestação celeste, porém, não traria revelações sobre os tempos de então. Por causa da "muita decadência da ", que ocorreria no século XX, Nossa Senhora disse expressamente: "É vontade de Deus reservar esta invocação e tua vida para aquele século, quando a corrupção de costumes será quase geral e a preciosa Luz da fé estará quase extinta."
    E na significativa aparição de 8 de dezembro de 1934, dia da Imaculada Concepção de Maria, que dá nome à sua Ordem, Nossa Senhora disse o porquê: "O meu culto sob a consoladora invocação do Bom Sucesso.... será a sustentação e salvaguarda da fé na quase total corrupção do século XX."
    O Cuadernón, livro que contém a autobiografia de Madre Mariana, desapareceu após ter sido escondido num buraco de parede do mosteiro durante a Guerra da Independência do Equador, em 1821. Os detalhes que conhecemos são de um livro escrito em 1790 por um frade franciscano, o português Manuel Sousa Pereira, que se converteu ao conhecer a vida de Madre Mariana. Após ser ordenado sacerdote, ele foi enviado a Quito, onde se tornou confessor das concepcionistas e teve acesso ao Cuadernón.
    As profecias feitas a Madre Mariana são espantosamente precisas. Jesus falou-lhe detalhadamente sobre momentos e decisões da Santa Igreja: "O Dogma de fé da Imaculada Conceição de Minha Mãe será proclamado quando mais combatida estiver a Igreja e encontrar-se cativo Meu Vigário. Do mesmo modo, o Dogma de fé do Trânsito e Assunção em corpo e alma aos Céus de Minha Mãe Santíssima."
    Com efeito, durante o 'Iluminismo', por conta de levante de forças rebeldes que alimentavam ódio à Igreja em toda Europa, o Papa Pio IX teve que refugiar-se em Gaeta, na região do Lácio, entre os anos de 1848 e 1850.


    Falando sobre o clero, Nossa Senhora nominou São João Maria de Vianney, que viria a ser o padroeiro dos padres, mas só nasceria duzentos anos mais tarde: "Os sacerdotes, a partir do século XIX, deverão amar com toda a alma João Maria Vianney, um servo meu que a Divina Bondade prepara para com ele agraciar aqueles séculos como modelo exemplar do sacerdote abnegado."
    Enfim, tal e qual a Aparição de Salette, ocorrida em 1846, as previsões de Nossa Mãe Celeste em Quito denunciam as desgraças que se vê em curso pelo mundo. Ela avisou das perversões: "... Extravasarão as paixões e haverá total corrupção dos costumes por quase reinar Satanás.... o qual visará principalmente a infância a fim de manter com isto a corrupção geral. Ai dos meninos desse tempo! Dificilmente receberão o Sacramento do Batismo e o da Confirmação."
    A grande heresia chegará às famílias sob a forma de 'cultura': "... possuirá sutileza para introduzir-se nos ambientes domésticos, que perderão as crianças. Nesse tempo infausto mal se encontrará a inocência infantil. Desta forma perder-se-ão as vocações para o sacerdócio e será uma verdadeira calamidade."
    A virgindade praticamente desaparecerá: "A atmosfera saturada do espírito de impureza que, à maneira de um mar imundo, correrá pelas ruas, praças e logradouros públicos... Quase não haverá almas virgens no mundo. A delicada flor da virgindade, tímida e ameaçada de completa destruição, luzirá de longe."
    O Casamento será ostensivamente profanado pelas legislações mundo afora: "Quanto ao Sacramento do Matrimônio, que simboliza a união de Cristo com a Igreja, será atacado e profanado em toda a extensão da palavra. .... Impor-se-ão leis iníquas com o objetivo de extinguir esse Sacramento, facilitando a todos viverem mal, propagando-se a geração de filhos mal-nascidos, sem a bênção da Igreja. Irá decaindo rapidamente o espírito cristão."
    A própria 'educação' oferecida será uma ofensa a Deus: "Apagar-se-á a luz da fé até se chegar a uma quase total e geral corrupção de costumes. Acrescidos ainda os efeitos da educação laica, isto será motivo para escassearem as vocações sacerdotais e religiosas."
    As almas partirão deste mundo sem os devidos Sacramentos: "Nesse tempo o Sacramento da Extrema Unção, posto que faltará nesta pobre pátria o espírito cristão, será pouco considerado. Muitas pessoas morrerão sem recebê-lo por descuido das famílias..."
    Padres e religiosos serão motivos de grandes castigos: "Saiba ainda que a Justiça Divina costuma descarregar castigos terríveis sobre nações inteiras, não tanto pelos pecados do povo quanto pelos dos Sacerdotes e religiosos, porque estes últimos são chamados, pela perfeição de seu estado, a ser o sal da Terra, os mestres da Verdade e os pára-raios da Ira Divina."
    Deles partirão abomináveis sacrilégios: "... querem servir-me às meias, conservando seus caprichos e gênios, em tudo satisfazendo suas vontades e tomando liberdades incompatíveis com seu estado e profissão. Eu não as tolero; nada pela metade me agrada. Eu as abandono e deixo que sigam todos os desejos de seu coração pervertido para desconhecê-las diante de meu Pai Celeste. Ai daqueles e daquelas!"
    Haverá verdadeiras traições: "Tempos funestos sobrevirão, nos quais.... aqueles que deveriam defender em justiça os direitos da Igreja, sem temor servil nem respeito humano, darão as mãos aos inimigos da Igreja para fazer o que estes quiserem."
    Vozes santas, entre elas a do próprio Papa, serão arrogante e violentamente caladas: "Quase não se encontrará a inocência nas crianças nem pudor nas mulheres, e nessa suprema necessidade da Igreja, calar-se-á aquele a quem competia a tempo falar."
    O desrespeito à Igreja será gritante: "Campearão vícios de impureza, a blasfêmia e o sacrilégio naquele tempo de depravada desolação..."
    E o próprio Santíssimo Sacramento será acintosamente afrontado: "O mesmo sucederá com a Sagrada Comunhão. Mas, ai! quanto sinto ao te manifestar que haverá muitos e enormes sacrilégios públicos e também ocultos de profanação da Sagrada Eucaristia.... Meu Filho Santíssimo ver-Se-á jogado ao chão e pisoteado por pés imundos."
    Mais uma vez, tudo estará nas mãos de um pequeno resto, que sofrerá martírios: "O pequeno número de almas que guardará o tesouro da fé e das virtudes sofrerá um cruel, indizível e prolongado martírio. Muitas delas descerão ao túmulo pela violência do sofrimento e serão contadas como mártires que se sacrificaram pela Igreja e pela pátria."
    A custo da resistência dos justos, e como foi predito na Aparição de Fátima, por fim virá o Triunfo: "Para a libertação da escravidão dessas heresias, aqueles a quem o amor misericordioso de Meu Filho Santíssimo destinará para esta restauração, necessitarão de grande força de vontade, constância, valor e muita confiança em Deus. Para pôr à prova esta fé e confiança dos justos, haverá ocasiões em que tudo parecerá perdido e paralisado. Será, então, o feliz princípio da restauração completa."
    Antes, porém, aconteceria uma terrível guerra. Seriam a 1ª e a 2ª mundial, que já são vistas como uma só? Pelo uso da bomba atômica, seriam elas a grande tribulação ou haverá maior? "... toda sorte de castigos como a peste, a fome, disputas internas e com outras nações e a apostasia, causa de perdição de um considerável número de almas.... Haverá uma guerra formidável e espantosa... Esta noite será horrorosíssima, porque humanamente o mal parecerá triunfante."
    Mas a vitória de Nossa Mãe Santíssima será certa: "Será chegada então a minha hora, em que eu, de forma maravilhosa, destronarei o soberbo e maldito Satanás, calcando-o debaixo dos meus pés e acorrentando-o no abismo infernal. Assim, a Igreja e a pátria estarão, por fim, livres de sua cruel tirania."
    Sobre seu triunfo, ela deixou um detalhe: "Este dia virá quando a corrupção dos costumes no mundo parecer chegar ao ápice..."
    E como sempre, a recomendação que ela faz a Madre Mariana é a mesma que faz a todos nós, tal e qual as aparições de Paris, LourdesCimbres e Akita, entre outras: "Ora com instância, clama sem cansar-te e chora com lágrimas amargas, pedindo ao Pai Celeste que Se compadeça de Seus Ministros e ponha termo quanto antes a tempos tão nefastos..."

    A igreja do Convento da Irmãs Concepcionistas tornou-se lugar de peregrinação.



    Oh Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!