sexta-feira, 16 de junho de 2017

Os Anjos (I)


    Os anjos são seres espirituais, como revelaram os seguidores da tradição de São Paulo: "Não são todos os anjos espíritos a serviço de Deus, que lhes confia missões para o bem daqueles que devem herdar a Salvação?" Hb 1,14
    São seres imortais, como explicou Jesus ao falar sobre a Ressurreição da carne: "Eles jamais poderão morrer, porque são iguais aos anjos..." Lc 20,36
    São invisíveis, criados por e para Cristo, como escreveu São Paulo: "N'Ele foram criadas todas as coisas nos Céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por Ele e para Ele." Cl 1,16
    Mas podem assumir várias formas de corpo glorioso, como se dará com aqueles que alcançarem a Ressurreição da carne para a Vida Eterna: "... o anjo do Senhor desceu do Céu... Sua aparência era como a de um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve." Mt 28,2b.3
    Ou apresentarem-se exatamente como são: "Gedeão reconheceu que era o anjo do Senhor e exclamou: 'Ai de mim, Senhor Javé, que vi o anjo do Senhor face a face.'" Jz 6,22
    De fato, além de visíveis e invisíveis, reluzir também seria uma de suas qualidades: "... fazeis dos ventos os vossos mensageiros, e dos flamejantes relâmpagos vossos ministros (Sl 103,4)." Hb 1,7
    São seres pessoais, como cantava o salmista: "Que é o homem...? ... vós o fizestes quase igual aos anjos..." Sl 8,5-6
    No livro de Jó, eles são apresentados como filhos de Deus: "Um dia em que os filhos de Deus se apresentaram diante do Senhor..." 1 Jó 1,6a
    Como santos: "Chama para ver se te respondem; a qual dos santos te dirigirás?" Jó 5,1
    Ou como o exército de Deus no livro de Reis, entre outros: "Miqueias replicou: 'Ouve o oráculo do Senhor: Eu vi o Senhor sentado no Seu trono e todo o exército dos Céus ao redor d'Ele, à direita e à esquerda." 1 Rs 22,19
    Aliás, tais armadas iriam constituir o mais frequente título de Deus: "Davi reuniu de novo todo o escol de Israel, ou seja trinta mil homens, e pôs-se a caminho com toda a sua gente, indo a Baalé de Judá, para trazer dali a Arca de Deus, sobre a qual é invocado o Nome, o Nome do Senhor dos Exércitos, que Se assenta sobre os querubins." 2 Sm 6,1-2
    Eles também podem assumir a forma humana, como registrou o Profeta Daniel: "De repente, um ser de forma humana tocou-me nos lábios." Dn 10,16
    Geralmente têm a aparência jovial, como vemos no livro de Tobias: "Apenas saíra, Tobias encontrou um jovem de belo aspecto, equipado como para uma viagem. Sem saber que se tratava de um anjo de Deus, ele saudou-o e disse-lhe: 'De onde és tu, ó bom jovem?'" Tb 5,5-6
    Tinha essa aparência também o anjo visto por Santa Maria Madalena e as mulheres que foram ao Santo Sepulcro no Domingo da Ressurreição: "Entrando no sepulcro, viram um jovem sentado do lado direito, vestido de roupas brancas, e assustaram-se." Mc 16,5
    Em comparação ao ser humano, segundo São Pedro, eles são "... superiores em força e poder..." 2 Pd 2,11
    Mas só durante a vida terrena, conforme os seguidores da tradição de São Paulo: "Por pouco tempo o colocaste inferior aos anjos... (Sl 8,6)." Hb 2,7a
    Porque na Vida Eterna os vencedores até sentarão no trono de Deus: "Não foi tampouco aos anjos que Deus submeteu o mundo vindouro, de que falamos." Hb 2,5
    São, pois, fiéis e poderosos cumpridores dos divinos mandados: "... os Seus anjos, poderosos executores de Suas ordens, sempre dóceis à Sua Palavra." Sl 102,20
    São mensageiros, pela própria acepção do termo 'anjo', e cumprem o papel de intérprete dos planos de Deus. Escreveu Daniel: "Ora, enquanto eu contemplava essa visão e procurava o significado, vi, de pé diante de mim, um ser em forma humana, e ouvi uma voz humana vinda do meio do Ulai: 'Gabriel', gritava, 'explica-lhe a visão.' Dirigiu-se então em direção ao lugar onde eu me achava. À sua aproximação, fiquei apavorado e caí com a face contra a terra. 'Filho do homem,' disse-me ele, 'compreende bem que essa visão simboliza o tempo final.'" Dn 8,15-17
    E acertadamente o povo trata suas palavras como a própria Palavra de Deus. Foi assim quando eles apareceram aos pastores de Belém, anunciando o Natal de Jesus: "Depois que os anjos os deixaram e voltaram para o Céu, falaram os pastores uns com os outros: 'Vamos até Belém e vejamos o que se realizou e o que o Senhor nos manifestou.'" Lc 2,15
    Nossa Senhora havia reagido semelhantemente perante o Arcanjo Gabriel, no dia da Anunciação: "Então disse Maria: 'Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra.'" Lc 1,38a
    Com efeito, através deles os hebreus receberam o Antigo Testamento, como afirmou Santo Estevão: "Vós que recebestes a Lei pelo ministério dos anjos e não a guardastes..." At 7,53
    Os da tradição de São Paulo vão no mesmo sentido: "A Palavra anunciada por intermédio dos anjos era a tal ponto válida, que toda transgressão ou desobediência recebeu o justo castigo." Hb 2,2
    Moisés, por exemplo, foi um de seus mediadores, segundo o próprio São Paulo: "Então que é a Lei? É um complemento ajuntado em vista das transgressões, até que viesse a descendência a quem fora feita a promessa; foi promulgada por anjos, passando por um intermediário." Gl 3,19
    Eles estão divididos em noves ordens, ou classes, e estas em três graus de hierarquia. São Judas Tadeu fala em classes, ao apontar os que decaíram: "Os anjos que não tinham guardado a dignidade de sua classe, mas abandonado os seus tronos, Ele os guardou com laços eternos nas trevas para o Julgamento do Grande Dia." Jd 6
    O Profeta Isaías menciona a primeiríssima ordem, os serafins, que estão diante do trono de Deus: "No ano da morte do rei Ozias, eu vi o Senhor sentado num trono muito elevado; as franjas de Seu manto enchiam o Templo. Os serafins mantinham-se junto d'Ele. Cada um deles tinha seis asas; com um par de asas velavam a face; com outro cobriam os pés; e, com o terceiro, voavam. Suas vozes revezavam-se e diziam: 'Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus do universo! A terra inteira proclama a Sua Glória!' A este brado as portas estremeceram em seus gonzos e a casa, encheu-se de fumo." Is 6,1-4
    E completam a primeira hierarquia, juntos aos serafins, as classes dos querubins e dos tronos. Os querubins servem de 'trono' a Deus, como vemos na oração do Profeta Ezequiel: "Senhor, Deus de Israel, que estais sentado sobre querubins, só Vós sois o Deus de todos os reinos da terra." 2 Rs 19,15a
    Eles são os guardiões da Arca da Aliança, conforme as imagens que Deus mandou fazer: "Porás na Arca o testemunho que Eu te der. Farás também uma tampa de ouro puro, cujo comprimento será de dois côvados e meio, e a largura de um côvado e meio. Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada." Ex 25,16-20
    São também os símbolos dos quatro Evangelhos: "Cada um dos querubins tinha quatro faces: o primeiro, a de um querubim; o segundo, um aspecto humano; o terceiro, o de um touro, e o quarto o de uma águia." Ez 10,14
    E são eles que guardam a entrada do paraíso, de onde Adão e Eva foram expulsos por quererem, a despeito da Palavra de Deus, saber o que era o bem e o mal: "E o Senhor Deus disse: 'Eis que o homem se tornou como um de Nós, conhecedor do bem e do mal. Agora, pois, cuidemos que ele não estenda a sua mão e tome também do fruto da árvore da Vida, e o coma, e viva eternamente.' O Senhor Deus expulsou-o do jardim do Éden, para que ele cultivasse a terra donde tinha sido tirado. E expulsou-o; e colocou ao oriente do jardim do Éden querubins armados de uma espada flamejante, para guardar o caminho da árvore da Vida." Gn 3,22-24
    São Paulo, como vimos, citou aleatoriamente alguns destas classes: "N'Ele foram criadas todas as coisas nos Céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por Ele e para Ele." Cl 1,16
    Na segunda hierarquia estão as classes dominações, potestades e virtudes. São Pedro, também sem distinguir hierarquias, falou em três delas: "Esse Jesus Cristo, tendo subido ao Céu, está assentado à direita de Deus, depois de ter recebido a submissão dos anjos, dos principados e das potestades." 1 Pd 3,22
    E é igualmente São Paulo quem menciona virtudes: "É o mesmo poder extraordinário que Ele manifestou na Pessoa de Cristo, ressuscitando-O dos mortos e fazendo-O sentar à Sua direita no Céu, acima de todo principado, potestade, virtude, dominação e de todo nome que possa haver neste mundo como no futuro." Ef 1,19b-21
    Já na terceira hierarquia, mais próximos de nós e do mundo material, estão as ordens de principados, arcanjos e anjos. Assim como São Paulo, o Profeta Daniel registrou uma conversa com um principado, que se encarrega de esclarecer os planos de Deus aos fiéis. Cada nação tem um deles como protetor: "O príncipe do reino persa resistiu-me durante vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros chefes, veio em meu socorro. Permaneci assim ao lado dos reis da Pérsia. Aqui estou para fazer-te compreender o que deve acontecer a teu povo nos últimos dias; pois essa visão diz respeito a tempos longínquos.'" Dn 10,13-14
    São Judas Tadeu menciona a classe dos arcanjos, situando corretamente São Miguel, ocasião em que exemplarmente demonstra como reagir diante do Mal: "Ora, quando o Arcanjo Miguel discutia com o demônio e com ele disputava o corpo de Moisés, não ousou fulminar contra ele uma sentença de execração, mas disse somente: 'Que o próprio Senhor te repreenda!'" Jd 9
    Tobias, sem mencionar o efetivo nome da ordem, deu detalhes sobre eles: "Agora o Senhor enviou-me para curar-te e livrar do demônio Sara, mulher de teu filho. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor." Tb 12,14-15
    São João Evangelista viu todos eles, antes do início dos sete castigos previstos no livro do Apocalipse: "Quando, enfim, abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no Céu cerca de meia hora. Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas." Ap 8,1-2
    Eles apresentaram-se igualmente como os sete espíritos de Deus: "E Quem estava sentado assemelhava-Se pelo aspecto a uma pedra de jaspe e de sardônica. Um halo, semelhante à esmeralda, nimbava o trono. Diante do trono ardiam sete tochas de fogo, que são os sete espíritos de Deus." Ap 4,3.5b
    E estão a serviço do Cristo: "Ao anjo da igreja de Sardes, escreve: 'Eis o que diz Aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas.'" Ap 3,1a
    Segundo o Profeta Zacarias, eles vigiam o mundo: "Estes sete olhos são os olhos do Senhor, que percorrem toda a terra." Zc 4,10b
    São Lucas, também sem usar da devida distinção, mencionou outro que nos é muito familiar: "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria." Lc 1,26
    É um dessa classe, aliás, que está encarregado de anunciar a gloriosa volta de Jesus. Disse São Paulo: "Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do Céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro." 1 Ts 4,16
    E, por fim, Deus referiu-Se simplesmente a um anjo, que seria o anjo da guarda, ao falar a Moisés sobre Seu protetor mensageiro: "Vou enviar um anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei. Está de sobreaviso em sua presença, e ouve o que ele te diz. Não lhe resistas, pois ele não te perdoaria tua falta, porque Meu Nome está nele." Ex 23,20-21
    São Paulo, da mesma forma, referiu-se a esta classe como mensageiros: "De fato, justo é que Deus dê em paga aflição àqueles que vos afligem; e a vós, que sois afligidos, o alívio, juntamente conosco, no Dia da manifestação do Senhor Jesus. Ele descerá do Céu com os mensageiros do Seu poder..." 2 Ts 1,6-7
    Assim como cada pessoa tem seu Santo Anjo da Guarda, todos os povos ou nações têm seus anjos. O de Israel foi de suma importância durante a saída do Egito: "O anjo de Deus, que marchava à frente do exército dos israelitas, mudou de lugar e passou para trás; a coluna de nuvens que os precedia pôs-se detrás deles, entre o acampamento dos egípcios e o de Israel." Ex 14,19-20a
    Enquanto estava em missão com São Timóteo e São Lucas, São Paulo viu o anjo da Macedônia: "De noite, Paulo teve uma visão: um macedônio, em pé, diante dele, rogava-lhe: 'Passa à Macedônia, e vem em nosso auxílio!' Assim que teve essa visão, procuramos partir para a Macedônia, certos de que Deus nos chamava a pregar-lhes o Evangelho." At 16,9-10
    Mas eles não podem ser adorados, gesto que só cabe a Deus: "Quando levantares os olhos para o céu, e vires o sol, a lua, as estrelas, e todo o exército dos Céus, guarda-te de te prostrar diante deles e de render um culto a esses astros, que o Senhor, Teu Deus, deu como partilha a todos os povos que vivem debaixo do céu." Dt 4,19
    Foi o mesmo que disse o anjo de Jesus a São João Evangelista, quando foi anunciada as Núpcias do Cordeiro: "Prostrei-me aos seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: 'Não faças isso! Eu sou um servo, como tu e teus irmãos, possuidores do testemunho de Jesus. Adora a Deus. Porque o espírito profético não é outro que o testemunho de Jesus.'" Ap 19,10
    Mas, de fato, nem todos são de Deus, como revelou o próprio Jesus ao falar sobre o Juízo Final: "Voltar-Se-á em seguida para os da Sua esquerda e lhes dirá: 'Retirai-vos de Mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos.'" Mt 25,41
    São Paulo também diz: "... foi-me dado um espinho na carne, um anjo de Satanás..." 2 Cor 12,7
    E por traírem a Deus, desmerecendo o indizível privilégio que tiveram, segundo São Pedro eles já foram irreversivelmente condenados: "Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os precipitou nos abismos tenebrosos do inferno..." 2 Pd 2,4
    Os anjos de Deus, entretanto, são numerosíssimos, como relatou São João Evangelista: "Na minha visão ouvi também, ao redor do trono, dos Animais e dos Anciãos, a voz de muitos anjos, em número de miríades de miríades e de milhares de milhares..." Ap 5,11


    Era um anjo de Deus, por sinal, que protegia o Profeta Elias, enquanto ele fugia pelo deserto da ameça de morte que lhe fez Jezabel, esposa do rei Acab: "Deitou-se por terra, e adormeceu debaixo do junípero. Mas eis que um anjo tocou-o, e disse: 'Levanta-te e come.'" 1 Rs 19,5
    Ao Arcanjo São Gabriel, revelando o grau de sua hierarquia, coube anunciar o nascimento de São João Batista a seu pai, Zacarias: 'Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para te falar e te trazer esta feliz nova.'" Lc 1,19
    Foi ele que comunicou o Advento a Nossa Senhora, explicitando que ela já era previamente agraciada: "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria. Entrando, o anjo disse-lhe: 'Ave, cheia de Graça, o Senhor é contigo.'" Lc 1,26-28
    Um deles, provavelmente o mesmo Gabriel, teve que aparecer a São José para explicar-lhe a Divina Gestação de Maria: "... eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e disse-lhe: 'José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois O que nela foi concebido vem do Espírito Santo.'" Mt 1,20
    Outro anjo foi o interlocutor com os pastores dos arredores de Belém o Nascimento de Jesus: "Um anjo do Senhor apareceu-lhes e a Glória do Senhor refulgiu ao redor deles, e tiveram grande temor." Lc 2,9
    Mas, como vimos acima, ele não estava só: "E subitamente ao anjo juntou-se uma multidão do exército celeste, que louvava a Deus e dizia: 'Glória a Deus no mais alto dos Céus e na terra Paz aos homens por Ele amados.'" Lc 2,13.14
    Essa, aliás, era uma antiga ordem dada por Deus: "E novamente, ao introduzir o Seu Primogênito na terra, diz: 'Todos os anjos de Deus O adorem (Sl 96,7)!'" Hb 1,6


    Presentes durante toda Sua vida, um anjo salvou o Menino Jesus da ira de Herodes, na ocasião do Massacre dos Santos Inocentes, levando a Sagrada Família ao Egito: "Depois de sua partida, um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse: 'Levanta-te, toma o Menino e Sua Mãe e foge para o Egito; fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o Menino para matá-Lo.'" Mt 2,13
    E ele mesmo trouxe-a de volta à Terra Santa: "Com a morte de Herodes, o anjo do Senhor apareceu em sonhos a José, no Egito, e disse: 'Levanta-te, toma o Menino e Sua Mãe e retorna à terra de Israel, porque morreram os que atentavam contra a vida do Menino.'" Mt 2,19-20
    Até São João Batista, que veio abrir-Lhe o caminho, foi citado por Deus através do Profeta Malaquias como um anjo: "Eis que vou mandar o Meu mensageiro para que prepare o Meu caminho diante de Mim." Ml 3,1
    Não por acaso, ao tentar Jesus, o diabo maliciosamente sugeriu-Lhe que invocasse a proteção dos anjos: "Se és Filho de Deus, lança-te abaixo, pois está escrito: 'Ele deu a Seus anjos ordens a teu respeito; proteger-te-ão com as mãos, com cuidado, para não machucares o teu pé em alguma pedra (Sl 90,11s)." Mt 4,6
    Após essa tentação, no entanto, ainda no deserto, os anjos vieram realmente em Seu auxílio: "Em seguida, o demônio deixou-O, e os anjos aproximaram-se d'Ele para servi-Lo." Mt 4,11
    E quando São Bartolomeu admirou-se da onisciência de Jesus, Ele prometeu muito mais aos Apóstolos: a conexão entre o Céu e a terra: "... vereis o Céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem." Jo 1,51
    Esta foi uma visão de Jacó, no sonho em que Deus lhe entregou a Terra Santa: "E teve um sonho: via uma escada, que, apoiando-se na terra, tocava com o cimo o Céu; e anjos de Deus subiam e desciam pela escada. No alto estava o Senhor, que lhe dizia: 'Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão, teu pai, e o Deus de Isaac; darei a ti e à tua descendência a terra em que estás deitado.' Jacó, despertando de seu sono, exclamou: 'Em verdade, o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia!' E, cheio de pavor, ajuntou: 'Quão terrível é este lugar! É nada menos que a Casa de Deus; é aqui, a Porta do Céu.'" Gn 28,12-13.16-17
    Jesus, que vai revelar-Se a própria Porta do Céu (Jo 10,9), defendia as crianças dos escândalos dos adultos advertindo-os de uma poderosa classe que as guardava: "Guardai-vos de menosprezar um só destes pequenos, porque Eu vos digo que seus anjos no Céu contemplam sem cessar a face de Meu Pai que está nos Céus." Mt 18,10
    Falou também de sua alegria pela Salvação dos pecadores: "Digo-vos que haverá júbilo entre os anjos de Deus por um só pecador que se arrependa." Lc 15,10
    Do nascimento até a morte, portanto, os anjos sempre velam por nós, como Ele revelou na parábola de Lázaro e o rico: "Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado." Lc 16,22
    Eles participam ativamente na realização de milagres: "Pois de tempos em tempos um anjo do Senhor descia ao tanque e a água se punha em movimento. E o primeiro que entrasse no tanque, depois da agitação da água, ficava curado de qualquer doença que tivesse." Jo 5,4
    Quem não testemunha Jesus, pois, não tem o auxílio deles: "Digo-vos: todo o que Me reconhecer diante dos homens, também o Filho do Homem o reconhecerá diante dos anjos de Deus; mas quem Me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus." Lc 12,8-9
    Uma vez no Céu, enfim, assim como os anjos, os seres humanos não terão a vida carnal como a conhecemos aqui na terra. Jesus afirmou: "Na ressurreição, os homens não terão mulheres nem as mulheres, maridos; mas serão como os anjos de Deus no Céu." Mt 22,30
    E a volta gloriosa de Jesus será marcada pela absoluta presença de todos eles: "Quando o Filho do Homem voltar na Sua Glória e todos os anjos com Ele, sentar-Se-á no Seu trono glorioso." Mt 25,31
    São eles, aliás, que vão reunir os escolhidos de Deus para levá-los aos Céus, segundo o próprio Jesus: "Ele enviará os anjos, e reunirá os Seus escolhidos dos quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu." Mc 13,27
    Foi exatamente isso o que Ele explicou na parábola do semeador: "A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os anjos." Mt 13,39
    São eles, portanto, que separarão os bons dos maus logo após o Juízo: "Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos..." Mt 13,49
    Esse trabalho será uma espécie de depuração para o novo mundo: "O Filho do Homem enviará Seus anjos, que retirarão de Seu Reino todos os escândalos e todos os que fazem o mal..." Mt 13,41
    Mas também eles não sabem de tudo. Sobre o fim do mundo, por exemplo, Jesus disse: "Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do Céu, mas somente o Pai." Mt 24,36
    Muitas revelações são-lhes ocultas, como explicou São Pedro: "Foi-lhes revelado que propunham não para si mesmos, senão para vós, estas revelações que agora vos têm sido anunciadas por aqueles que vos pregaram o Evangelho da parte do Espírito Santo enviado do Céu. Revelações estas, que os próprios anjos desejam contemplar." 1 Pd 1,12
    Sem dúvida, muitas dessas revelações eles só viriam a entender através da instituição da Igreja, como disse São Paulo: "Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, pela Igreja, a infinita diversidade da Sabedoria divina..." Ef 3,10
    Contudo, já próximo da Paixão de Nosso Senhor, quando Ele angustiou-Se no Horto das Oliveiras, foi um anjo que O consolou: "Apareceu-Lhe então um anjo do Céu para confortá-Lo." Lc 22,43
    Aliás, se fosse da vontade de Deus, eles até poderiam ter salvo Jesus da crucificação, como Ele mesmo afirmou a São Pedro ao mandá-lo guardar a espada: "Crês tu que não posso invocar Meu Pai e Ele não Me enviaria imediatamente mais de doze legiões de anjos?" Mt 26,53
    Pois foi um anjo que abriu Sua sepultura para Santa Maria Madalena e Maria, mãe de São Tiago Menor: "E eis que houve um violento tremor de terra: um anjo do Senhor desceu do Céu, rolou a pedra e sentou-se sobre ela." Mt 28,2
    E embora Santa Maria Madalena não os reconhecesse como anjos, eles consolaram-na: "Viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde estivera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. Eles perguntaram-lhe: 'Mulher, por que choras?'" Jo 20,12-13
    Por fim, quanto à despedida de Jesus e ao anúncio de Sua volta, foram também os anjos que desfizeram a perplexidade dos Apóstolos após Sua Ascensão: "Enquanto O acompanhavam com seus olhares, vendo-O afastar-Se para o Céu, eis que lhes apareceram dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: 'Homens da Galileia, por que ficais aí a olhar para o Céu? Esse Jesus que acaba de vos ser arrebatado para o Céu voltará do mesmo modo que O vistes subir.'" At 1,10-11

    "O Espírito nos uma num só Corpo!"